Alcance da Eficiência Energética nos Negócios

Alcance-da-eficiência

Muitas empresas podem não se dar conta da quantidade de desperdício energético ocasionado nas atividades cotidianas, mas os números são relevantes e demonstram um grande potencial de crescimento. Segundo o Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica), por ano são desperdiçados cerca de 22 milhões de kW; essa quantidade energética, quando convertida em valores, renderia quase US$1,54 bilhões. Para se ter uma noção, aproximadamente 41% de todo o consumo de energia nacional é atribuído às empresas.

Por conta disso, é compreensível que haja uma preocupação maior por parte dos negócios em alcançar estruturas completas de eficiência energética. Além de influenciar na redução de custos expressivos, o controle sobre os custos energéticos resulta em diferencial competitivo por conta do gerenciamento completo de todas as funções de produção.

Contar com instalações elétricas de qualidade, com fiação que não ocasione fugas de correntes ou desequilíbrio de fazes é primordial para ajustar os custos energéticos, mas apenas modernizar cabeamentos e estruturas elétricas não é suficiente. A modernização estrutural no gerenciamento do uso de energia eleva a compreensão das empresas sobre seus departamentos e condições de trabalho.

Cenário Atual da Eficiência Energética

Se formos comparar o Brasil com outros países, estamos atualmente em 13º lugar entre as 16 maiores economias do mundo, porém quando o assunto é eficiência energética, o Brasil ocupa a penúltima posição entre as 16 maiores, tendo Alemanha no topo do ranking. Além da falta de investimento em tecnologias e soluções para reduzir o consumo de energia, o Brasil ocupa a 37ª posição entre os 110 países com a energia mais cara do mundo, estando a frente de nomes como Argentina, México e Estados Unidos.

O posicionamento da Alemanha em primeiro lugar não é mera coincidência; desde 2011, o país europeu apresenta soluções digitais para aprimorar seus recursos e otimizar diversas funções, além de ser um dos pioneiros da Indústria Inteligente e Transformação Digital.

O uso de IoT para o gerenciamento energético possibilita uma comunicação que gera um panorama macro sobre os sistemas, com base em análises individuais sobre as condições gerais de cada ativo. A conectividade promovida com a tecnologia permite conexão entre ativos e coleta de dados em tempo real, gerando informações importantes para melhorar a performance dos aparelhos.

As soluções pensadas para reduzir o consumo de energia também interferem em outros pontos dos negócio, como maior vida útil dos ativos, controle de qualidade, monitoramento mais eficiente e ganho de responsabilidade ambiental, que está diretamente atrelado à reputação das empresas e como determinado produto será visto na sociedade.

E o Consumo de Energia só Cresce

Se ainda não te convencemos a investir em eficiência energética, aqui vão dois dados que podem mudar sua opinião:

  • Em Setembro de 2021, além de registrar um aumento de 3,4% no consumo de energia em relação ao mesmo mês do ano anterior, o Brasil também registrou a maior quantidade de energia consumida para o mês de Setembro em toda a série histórica, iniciada em 2004;
  • Em 2021, o valor da energia no Brasil subiu aproximadamente 25%.

Em resumo, os dados acima revelam o seguinte: a necessidade de utilizar energia está aumentando juntamente com seu valor. Ou seja, quem não investe em eficiência energética, tem prejuízo dobrado.

Compartilhar conteúdo