Como a governança de dados agrega valor aos seus negócios

governança de dados

Podemos afirmar que a governança de dados é uma maneira eficiente e inteligente de utilizar as informações relevantes que circulam no ambiente corporativo. Quando mal armazenadas ou inseridas de modo incorreto, no entanto, são ineficazes no momento de extrair orientações que possam ser usadas para melhorar resultados. 

Se você deseja saber como a governança de dados agrega valor aos seus negócios, então confira este artigo. 

Governança de dados é essencial para os resultados organizacionais 

Se for eficaz, a governança de dados agrega valor aos negócios, por isso ela é considerada crítica para o sucesso de um empreendimento. No entanto, as organizações hoje estão decepcionadas por suas práticas de negócios e um dos principais culpados é a falta de uma governança ou, então, a adoção de métodos de governança inadequados. 

Isso é comprovado por uma Pesquisa de 2019 do Gartner. Segundo o estudo, o número de empresas que implementam inteligência artificial (IA) cresceu 270% nos últimos quatro anos, mas apenas 13% dessas organizações reconhecem as questões de governança como seus três principais desafios para a adoção de IA. 

Os principais motivos pelos quais as empresas não aplicam a governança de dados são: 

  • A crença de que governança implica em controle, não em valor; 
  • Falsa ideia de que o processo vai desacelerar o negócio; 
  • Trata-se de mais uma preocupação de TI, sem relação com os negócios; 
  • Percepção de que, além de dar muito trabalho, a governança de dados não é essencial para os objetivos e realizações da empresa; 
  • Tentativas anteriores para estabelecer o controle foram frustradas. 

Em função dessas percepções equivocadas, a companhia deixa de ver as razões pelas quais a governança de dados agrega valor aos seus negócios, sendo crítica para o sucesso da empresa – independentemente de porte e segmento de atuação. 

Vejamos, a seguir, alguns dos muitos argumentos para começar já esse controle inteligente de informações: 

  • Aproveitar os dados existentes e os investimentos para impulsionar e sustentar o 
  • crescimento dos negócios; 
  • Identificação e superação de ameaças competitivas por meio da dinâmica de mercado e cenário regulatório; 
  • Monetização e troca de informação para criar novos produtos agregando valor ao empreendimento; 
  • Identificação – e posterior correção – de alocação incorreta de recursos para projetos de baixa prioridade não alinhados com os objetivos estratégicos. 

Conheça as 5 etapas para uma governança de dados que agrega valor aos negócios 

Como vimos, nem todos os gestores enxergam a governança de dados como elemento estratégico para a organização, sendo necessário mostrar qual o problema e quais oportunidades de negócio podem encontrar resposta nesse processo – e, assim, mostrar sua importância. 

Mas, como fazer isso? Simples: seguindo as 5 etapas que apresentamos a seguir. 

Vale ressaltar que as etapas, longe de serem complexas, tratam-se de um processo que se adapta ao porte e estratégia das empresas, tanto em prazos, como em custos – ou seja, cabe no bolso de organizações de todos os portes, desde que seja desenvolvido por uma equipe capacitada para isso. 

# Etapa 1 – Identifique prejuízos da falta de governança 

Neste momento, é preciso identificar quais resultados de negócios não podem ser entregues devido à falta de governança de dados.  

Deve-se identificar os resultados estratégicos do negócio e suas prioridades relativas, entender as metas e a direção que a organização espera seguir, assim como os motivadores de mercado e o cenário regulatório existente. 

É essencial o envolvimento direto com os principais líderes do negócio para descobrir onde os dados e análises estão funcionando e onde não estão – frequentemente, as prioridades são expressas como programas críticos que estão em andamento ou planejados e já têm líderes atribuídos. 

avaliação dos relatórios de auditoria interna atuais e históricos, ajudará a compreender o impacto que a má governança de dados e analítica já teve na organização. Essa análise indicará falhas e custos, o que será muito importante no momento de argumentar como a governança de dados agrega valor à empresa. 

Por fim, é essencial validar a declaração do problema com as principais partes interessadas, fornecendo feedback às lideranças. 

# Etapa 2 – Verifique KPIs e KRIs 

Conectar a performance da empresa ao valor da informação, por meio de métricas-chave, é o passo seguinte. 

Identifique os owners e processos que são essenciais para abordar a declaração do problema, lembrando que os processos abrangem várias áreas de negócios, e determine a lista de indicadores-chave de desempenho (KPIs) e indicadores-chave de risco (KRIs). 

Nem todos os KPIs e KRIs que estão relacionados aos processos, serão úteis para o sucesso do negócio, por isso, isole aqueles que apoiam diretamente as principais decisões dos responsáveis pelos processos – eles que irão se enquadrar no escopo de sua proposta de governança de dados e análise. 

Analise e documente a condição atual e o uso desses dados e ativos analíticos para as necessidades específicas da organização. Adote técnicas de avaliação de informações para ilustrar o impacto nos negócios mostrando, por exemplo: 

  • Dados mestre inconsistentes e de baixa qualidade; 
  • Algoritmos / modelos de decisão inválidos, mas que, ainda assim, são compartilhados por toda a empresa. 

# Etapa 3 – Elabore o escopo inicial de trabalho 

Descreva o escopo de trabalho, informando mão de obra, processos e tecnologia necessários para entregar os resultados priorizados. 

A proposta deve considerar as principais opções de governança de dados que podem ser adotadas para melhorar resultados. Também deve envolver equilíbrio entre pessoas, processos e tecnologia, após análise de benefícios, custos, riscos e premissas para cada uma dessas opções. 

Identificar a solução ideal que vai levar a uma governança de dados que agrega valor aos seus negócios, equilibrando a oportunidade, risco, cultura e maturidade na organização, requer conhecimento e experiência de como a organização trabalha. 

Avalie a probabilidade de sucesso de sua proposta para governança de dados, testando-a com as principais partes interessadas, para aprovação. Isso também indicará, com antecedência, quais as pessoas que aprovarão e assinarão seu projeto.  

# Etapa 4 – Defina abordagem, prazos e resultados 

Agora é preciso definir a abordagem, os entregáveis, prazos e quais os resultados esperados. 

Selecione e desvende os dados e abordagem de governança como seu modelo de implantação. De modo geral, os ambientes são complexos, contendo várias plataformas que suportam combinações de sistemas. Isso exigirá diferentes estilos de governança para atender aos diferentes requisitos de dados, análises e casos de uso. 

Segmente a entrega de resultados em fases gerenciáveis e, para cada uma dessas implantações planejadas, conecte entregas a melhore as decisões de negócios baseadas em dados, melhoria no comportamento organizacional e a capacidade de gerar novo valor à empresa. 

Crie o roteiro para a entrega de cada fase da governança de dados, ilustrando como o programa de GD será implementado ao longo do tempo, o valor comercial que está sendo entregue e informe aos envolvidos o impacto comercial específico sobre a organização. 

Sua proposta deve comprovar que a que governança de dados agrega valor aos seus negócios. 

# Etapa 5 – Finalize sua proposta 

Conclua as informações financeiras de sua proposta. E, lembre-se: se as principais partes interessadas das áreas de negócio e financeira estiveram envolvidas no processo, o modelo financeiro pode exigir estimativas financeiras detalhadas.  

Desenvolva seu modelo de retorno sobre o investimento (ROI) com base em uma variedade de resultados possíveis. Os custos e benefícios podem ser expressos por meio da metodologia de ROI predominante na organização – aproveite o suporte da área de finanças, sempre que possível. 

Antes de apresentar sua proposta final ao conselho de tomada de decisões formal, analise o contexto em busca de possíveis lacunas, obtenha insights sobre áreas problemáticas e objeções que você possa obter na apresentação da proposta e busque argumentos para superá-los – não deve haver dúvidas de como a governança de dados agrega valor aos seus negócios. 

A apresentação deve ser muito clara, inclusive em relação ao que está fora do escopo. No momento de discutir a proposta, apresente argumentos como resultados dos negócios e prioridades que representem as principais expectativas dos stakeholders.  

Agora que você sabe como a governança de dados agrega valor aos seus negócios, conheça um caso de sucesso onde a expertise da Tenbu foi essencial para melhoria do valor da organização. Aproveite para falar com nossos especialistas e saber como usar as informações organizacionais de modo inteligente! 

ACESSAR CASE DE SUCESSO – ALGAR TELECOM 

 

Compartilhar conteúdo

jornada Data Driven

Business Analytics

Tenbu Self Services Analytics

Data Storytelling

Ciência de Dados

Modelos de Machine Learning

Machine Learning para Supply Chain

jornada Cloud Computing

Azure

AWS

IBM

Indústria inteligente

Eficiência Energética

Redução de falhas

Manutenção Preditiva

IoT

Governança de dados e LGPD

LGPD OneTrust

Visão Integrada de Produtos e Clientes