Relação Entre Governança e Privacidade de Dados 

Hand touching GOVERNANCE button, modern business technology concept

Governança e Privacidade de Dados são temas que devem sempre andar em paralelo, porém muitas empresas acabam focando mais na privacidade dos dados; afinal, basta uma brecha de segurança para gerar questões altamente complexas e negativas para a empresa. Especialmente quando consideramos as novas leis em vigor, como a Lei Geral de Proteção de Dados.  

Então, como encontrar o equilíbrio entre Governança e Privacidade de Dados para garantir a segurança e a conformidade em sua empresa? Siga na leitura para encontrar estas e outras respostas! 

Entendendo a Relação Entre Governança e Privacidade de Dados 

A governança de dados envolve o controle que uma organização tem sobre suas informações. Esse controle pode ser alcançado por meio de: 

  • Visibilidade sobre pipelines de dados;  
  • Gerenciamento de direitos acionáveis; 
  • Responsabilização clara.  

Por isso, a governança de dados abrange as pessoas, os processos e todas as ferramentas necessárias para criar o manuseio consistente e adequado das informações de uma empresa. Assim, é possível garantir: 

  • Disponibilidade;  
  • Usabilidade;  
  • Consistência;  
  • Compreensão;  
  • Integridade dos dados; 
  • Segurança de dados

Com a LGPD em vigor, um bom modelo de governança e privacidade de dados tem um impacto direto nos negócios, indo além de um processo que as empresas têm que implantar para cumprir a regulamentação, sendo essencial para a saúde da marca.  

Por isso, é importante adotar algumas práticas que complementem as tecnologias voltadas para a segurança de dados em sua empresa. Saiba mais no próximo tópico. 

Melhores práticas de Governança e Privacidade de Dados 

Cada vez mais, as empresas devem colocar em prática as políticas de proteção de dados. Por isso, é essencial adotar algumas boas práticas, conforme listamos abaixo: 

1) Conheça seus dados 

O passo mais importante é entender quais dados sua organização cria, recebe e coleta, pois só assim será possível determinar quais requisitos legais e regulamentares deve cumprir.  

Com uma política de governança e privacidade de dados eficaz, sua empresa vai enxergar o ciclo de vida dos dados e as etapas pelas quais eles são processados internamente: 

  • Coleta; 
  • Processamento; 
  • Análise; 
  • Publicação; 
  • Armazenamento; 
  • Exclusão; 
  • Reutilização. 

2) Gerencie armazenamentos e os backups 

Saber quais dados sua organização tem é importante, mas é preciso também gerenciar de forma segura onde eles estão armazenados. A governança de dados determina a rotina adequada de realizar o backup para os sistemas essenciais da organização.  

Ela também identifica o que estará no backup e como usá-lo em caso de um incidente. Não menos importante, a governança e privacidade de dados também se responsabilizam pelas rotinas de testes e por implantar boas práticas para a conservação das informações. 

3) Controle os acessos 

Dados comprometidos ou roubados podem ser explorados por criminosos e compartilhados publicamente. Além disso, os danos à reputação de uma grande violação podem afetar as receitas de uma empresa por anos.  

Por isso, é preciso controlar os acessos através de políticas e medidas de segurança técnicas e organizacionais. Só assim sua empresa poderá garantir a privacidade dos dados dos clientes, fornecedores e colaboradores. 

4) Gerencie e controle riscos 

Uma boa estratégia de governança de dados facilita a capacidade de uma empresa responder eficientemente a eventos de privacidade de dados, como incidentes ou violações – providências essenciais considerando a LGPD e outras regulamentações

5) Treine os usuários regularmente 

Processos bem estruturados permitem que sua empresa melhore a eficiência da governança e privacidade dos dados, tudo através da análise avançada, inteligência artificial e automação.  

Porém, é essencial contar com políticas fortes e treinamentos constantes para garantir que toda a força de trabalho saiba agir de forma a proteger a segurança da informação e evitar possíveis riscos. 

Diretrizes de uma Governança de Dados Eficiente 

A junção dos cinco itens abordados anteriormente faz parte de uma boa estratégia de governança onde as políticas, processos e estrutura organizacional apoiam o gerenciamento dos dados. Veja a seguir o conjunto de diretrizes que nossos especialistas orientam: 

  • Gerenciamento de arquitetura de dados: analisar quais dados são necessários, assim como de onde vêm e por onde terão de passar até chegar ao destino final; 
  • Gerenciamento de operações de dados: é preciso planejar, controlar, fazer a manutenção e o suporte ao ativo de dado durante todo o seu ciclo de vida; 
  • Desenvolvimento dos dados: voltado para analisar os requisitos dos dados, implantar o seu modelo de dados e definir sua manutenção; 
  • Gerenciamento de segurança de dados: focado em políticas e procedimentos que permitam assegurar autenticação, autorização, acesso e auditoria nos ativos de dados; 
  • Gerenciamento de DW e BI: sua equipe deve planejar e projetar modelos de dados que permitam a geração de informações para tomadas de decisão mais assertivas; 
  • Gerenciamento de dados mestre e referência: pensado para projetar uma estrutura que promova uma “Central Única da Verdade”; 
  • Gerenciamento da documentação e conteúdo: o objetivo é armazenar, proteger e acessar dados encontrados em arquivos eletrônicos e registros; 
  • Gerenciamento de Qualidade de dados: voltada para técnicas de gerência de qualidade de dados
  • Gerenciamento de Metadados: focado em gerenciar e controlar as informações que complementam os dados. 

Sobre as etapas de implantação das diretrizes, a Tenbu segue os seguintes passos: 

  • Mapeamento Técnico; 
  • Contexto da Informação; 
  • Qualidade da informação; 
  • Privacidade dos dados; 
  • Engajamento da Comunidade; 
  • Acompanhamento contínuo. 

Tenbu: Especialista em Governança e Privacidade de Dados 

A relação entre governança e privacidade de dados é fundamental para garantir não só a segurança da informação, mas também a conformidade com a LGPD. Uma organização que cuida da segurança de seus dados também pode usar suas informações para razões comerciais, legais ou regulatórias.  

Além disso, garantir que governança e privacidade de dados caminhem juntas contribui para: 

  • Redução de seus riscos de privacidade;  
  • Maior controle de custos; 
  • Aumento da eficiência; 
  • Melhorias nas tomadas de decisões orientadas por dados; 
  • Promoção de uma ampla confiança pública. 

A Tenbu tem experiência para ajudar sua empresa nisso. Por isso, fale hoje mesmo com um de nossos especialistas! 

FALE COM UM ESPECIALISTA TENBU 

Compartilhar conteúdo